• Secretaria Executiva RDSI

O Fundo Iratapuru deve lançar três editais ao ano


O Fundo Iratapuru deve lançar três editais por ano, sendo uma para as entidades representativas da Comunidade São Francisco do Iratapuru, outro para as entidades representativas das comunidades do entorno da RDSI conforme o plano de manejo: Santo Antônio da Cachoeira, Padaria, São José, São José do Cupixi, Distrito do Cupixi e São Miguel do Cupixino e, por fim, um edital exclusivo para instituições de Pesquisa preferencialmente do Estado do Amapá e com a implementação de projetos somente na RDSI e/ou no seu entorno.

Os projetos a serem aprovados devem atender aos seguintes preceitos:

  • Devem estar adequados ao Plano de Utilização e Plano de Manejo da RDSI;

  • Proteção dos meios de vida e cultura das populações tradicionais e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais;

  • Priorização das iniciativas já sugeridas pelas comunidades, que possam ser replicadas como experiências de sucesso;

  • Apoio às organizações e não às ações isoladas de comunidades;

  • Priorização da prestação de serviço por consultorias locais, sem prejuízo na qualidade dos resultados;

  • Beneficiar as comunidades que estejam de fato envolvidas nas atividades a serem apoiadas pelo Projeto;

  • Manter coerência entre o objetivo do Projeto, o valor solicitado e o número de pessoas atendidas;

·

E atender ao menos 1 dos 21 eixos de ação discriminados abaixo:


  • Segurança alimentar e geração de renda;

  • Conservação e preservação ambiental;

  • Fortalecimento do associativismo/cooperativismo e diversificação de mercados;

  • Recuperação, criação e manutenção de coleções ex situ de amostra do patrimônio genético;

  • Prospecção e capacitação de recursos humanos associados ao uso e à conservação do patrimônio genético ou do conhecimento tradicional associado;

  • Proteção, promoção do uso e valorização dos conhecimentos tradicionais associados;

  • Implantação e desenvolvimento de atividades relacionadas ao uso sustentável da diversidade biológica, sua conservação e repartição de benefícios;

  • Fomento à pesquisa e desenvolvimento tecnológico associado ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado;

  • Levantamento e inventário do patrimônio genético, considerando a situação e o grau de variação das populações existentes, incluindo aquelas de uso potencial e, quando viável, avaliando qualquer ameaça a elas;

  • Apoio aos esforços das comunidades tradicionais no manejo sustentável e na conservação de patrimônio genético;

  • Conservação das plantas silvestres;

  • Desenvolvimento de um sistema eficiente e sustentável de conservação ex situ e in situ e desenvolvimento e transferência de tecnologias apropriadas para essa finalidade com vistas a melhorar o uso sustentável do patrimônio genético;

  • Monitoramento e manutenção da viabilidade, do grau de variação e da integridade genética das coleções de patrimônio genético;

  • Adoção de medidas para minimizar ou, se possível, eliminar as ameaças ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado;

  • Desenvolvimento e manutenção dos diversos sistemas de cultivo que favoreçam o uso sustentável do patrimônio genético;

  • Elaboração e execução dos Planos de Desenvolvimento Sustentável de Populações ou Comunidades Tradicionais e protocolos comunitários;

  • Apoio à agricultura de subsistência;

  • Promoção do protagonismo das mulheres; e

  • Capacitação dos jovens.

32 visualizações0 comentário